02/12/2014

Pesquisadores dos Estados Unidos, Índia e Japão palestram nesta sexta-feira (5)

 

Monitoramento Ambiental

A incorporação de dados e informações confiáveis e precisas sobre as variáveis físicas do meio ambiente podem auxiliar no planejamento de ações que diminuam os efeitos dos desastres naturais. É isso que defendem pesquisadores dos Estados Unidos, Índia, Brasil e Japão que estarão reunidos em Curitiba, nesta sexta-feira (5), no Seminário Tecnológico sobre Monitoramento Ambiental. Eles apresentarão as mais avançadas tecnologias no setor, como satélites, radares e sensores de superfície, discutindo a sua integração e seu potencial de previsão e prevenção.

Segundo o relatório Impactos da Mudança Climática, Adaptação e Vulnerabilidade, apresentado em março de 2014 no Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) – pertencente à Organização Meteorológica Mundial e ao Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) – os impactos das mudanças climáticas já afetam a agricultura, os ecossistemas, recursos hídricos, oceanos, setores econômicos e a saúde humana. Para o doutor em geotecnia e diretor de desenvolvimento tecnológico dos Institutos Lactec, Ney Augusto Nascimento, nem sempre é possível prever todos os eventos, mas se pode trabalhar com certa antecedência na diminuição dos prejuízos, principalmente à vida. “O monitoramento auxilia na prevenção de grandes desastres, como por exemplo, escorregamento de encostas e enchentes, causados em geral, por excesso de chuva”, comenta. Outros pontos destacados por ele são o fato do Brasil figurar entre os países que mais sofrem acidentes com descargas atmosféricas, afetando o fornecimento de energia; e a recorrente estiagem, que também está associada à segurança hídrica e energética do país. “Eventos como a estiagem não são fáceis de serem previstos, mas acontecem e tendem a continuar acontecendo, o que faz com que o planejamento a longo prazo também se torne cada vez mais essencial”, conclui.

Entre os palestrantes internacionais estão o pesquisador da NASA Steve Goodman, que traz no currículo desde a perseguição de tornados para fins documentais até uma medalha de mérito científico excepcional da NASA, em 2001, fruto do seu trabalho de pesquisa em monitoramento de desastres naturais, mudanças climáticas e fragilidade ambiental da Terra. Ele também atua na National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), uma agência governamental americana responsável pelo monitoramento atmosférico e oceânico.

Dos Estados Unidos, também estarão presentes Phillip Allegretti, pesquisador e cientista em desenvolvimento de hardware e software de sistemas automáticos de monitoramento meteorológico, e o indiano Chandrasekar Venkatachalam, professor de engenharia elétrica, de computação e biomédica da faculdade de engenharia da Universidade de Colorado, EUA. “Eu estou indo ao Brazil, justamente para discutir o aumento da vulnerabilidade das regiões metropolitanas e as mudanças climáticas, e gostaria de ver parte do Brasil adquirindo tecnologias para esse fim, nem que seja exclusivamente para pesquisa”, comentou.

Os outros dois palestrantes são Ryoichi Furuta, pesquisador e cientista da Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial, que lida com o satélite do tipo SAR – Radar de Abertura Sintética – para deslizamento de encostas; e o doutor em meteorologia pela Universidade de São Paulo (USP), Cesar Beneti, diretor executivo do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), que atua com os sistemas operacionais e pesquisa previsão do tempo e sensoriamento remoto da atmosfera.

O evento é organizado pelos Institutos Lactec, instituição de pesquisa responsável por projetos como o monitoramento de encostas com fibra ótica para os gasodutos da Petrobras no litoral do Paraná; monitoramento da qualidade do ar de Curitiba e RMC; e produção de mapas de alagamento de trechos do Rio Iguaçu, fornecendo diferentes cenários de cheia com suas prováveis áreas de alagamento.

 

Serviço
Seminário Tecnológico sobre Monitoramento Ambiental
Data: 5 de dezembro de 2014
Local: Auditório Caio Amaral, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná – Fiep (Av. Comendador Franco, 1341, Jardim Botânico, Curitiba – PR)
Horário: das 8h às 18h30
Inscrições: de R$ 295 até 590
Mais informações: www.institutoslactec.org.br/monitoramento2014