29/04/2015

siml-2Junto da consultora carioca PSR, os Institutos Lactec desenvolveram uma metodologia de aperfeiçoamento do modelo atual de leilões de energia. Para validar os resultados, também foi criado um software que permite a simulação dos leilões contendo as inovações propostas, em comparação à metodologia atual. O produto foi apresentado nesta terça-feira (28), no workshop de encerramento do projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Aperfeiçoamento do Processo de Contratação da Expansão do Parque Gerador. O evento foi realizado em Curitiba, com representantes da PSR Soluções e Consultoria em Engenharia, a Copel Geração e Transmissão (GeT), os Institutos Lactec, Duke Energy, Energia de Portugal (EDP), Tractebel, Endesa e Neoenergia. 

Segundo o coordenador do projeto pelos Institutos Lactec, Lucio de Medeiros, dos Institutos Lactec, existe um modelo que o governo federal utiliza há 10 anos para realização de leilões de energia elétrica. “O projeto de P&D vem contribuir para o aperfeiçoamento deste modelo e o software é a ferramenta por meio da qual as concessionárias podem simular os leilões com essa nova metodologia”, comenta ele. “A partir da apresentação do projeto à Aneel, como resultado de P&D, as melhorias podem ser adotadas pelas entidades responsáveis pelos leilões”, diz.

O gerente do projeto de P&D, Carlos Bley, da Copel GeT, diz que é complicado fazer comparação de diferentes fontes de energia para atendimento das demandas do mercado. Para isso, foi criado o SIML. “Com o software é possível simular participações em leilões e definir estratégias de participação”, afirma. Bley comenta que conforme as restrições ambientais avançam e as chamadas fontes alternativas de energia aumentam sua participação no mercado, novos desafios surgem. “É preciso pensar, a partir disso, qual o melhor conjunto de modais para atender às demandas do setor”, conclui.

Além da PSR, Copel GeT e Institutos Lactec,  outras dez empresas associadas à Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine) participaram do projeto: AES Tietê, Cemig, Endesa/Centrais Elétricas Cachoeira Dourada, Cesp, Duke, Emae, EDP/Enerpeixe, Neoenergia/Termopernambuco, Tractebel e CPFL/Foz do Chapecó Energia.