17/07/2015

Consultoria dos Institutos Lactec avalia a viabilidade técnica e econômica da microgeração de energia e sugere os melhores modais para atendimento de cada indústria

Com a crise hídrica do país e o custo de energia cada vez mais elevado, a microgeração se apresenta como uma alternativa viável para garantir economias na indústria. Isso porque, com grande demanda por energia, o investimento realizado na instalação de equipamentos geradores poderá ser revertido em um curto período de tempo, reduzindo ou até mesmo zerando a conta de luz.

A microgeração limitada a sistemas com potência instalada de até 100 kW consiste na produção de energia  considerando fontes alternativas como a solar, hídrica, eólica, biomassa e biogás entre outras  e incluso  sistemas de armazenamento de energia.

O acesso da micro e minigeração está regulado no Brasil desde 2012, quando a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), publicou a resolução nº 482/2012. Antes da regulamentação, já era possível produzir energia, mas sem regras que definiam direitos e deveres quanto à distribuição da energia remanescente para as concessionárias. Com a mudança, além da sustentabilidade energética – de parte ou de toda a indústria –, é possível devolver energia à rede de distribuição e reverter o valor gerado em créditos nas faturas com validade de 36 meses.

Para determinar quais são as melhores instalações para cada tipo de indústria e fazer um estudo de viabilidade técnica e econômica, os Institutos Lactec oferecem consultoria para o setor. O serviço especializado é realizado por mestres e doutores que possuem conhecimento nacional e internacional sobre microgeração de energia.

Entenda como funciona

Infográfico_Microgeração-01Os pesquisadores dos Institutos Lactec vão até a indústria para estudar a demanda de energia e avaliar o potencial de geração esperado pela empresa. Com isso, definem um plano de viabilidade técnica e econômica e projetam o sistema com a melhor alternativa a ser implementada – seja ela de geração solar, eólica ou de biomassa, por exemplo.

A partir desse passo, a indústria fará a compra dos equipamentos e a sua instalação. Após um período de utilização, os pesquisadores retornam a indústria para mensurar os resultados da instalação.