19/10/2015

Institutos Lactec mediam um dos painéis de abertura do evento e palestram sobre projetos fundamentais para o desenvolvimento do smart grid e da geração distribuída.

vianna-2

O presidente dos Institutos Lactec, Luiz Fernando Vianna, foi mediador do painel sobre o mercado das energias inteligentes no evento Smart Energy Paraná, na manhã desta terça-feira (19), em Foz do Iguaçu-PR. Durante o evento, que é realizado até quarta-feira (21), são discutidos temas como novas fontes de energia, políticas econômicas e espaço empresarial no ambiente da energia inteligente (smart energy).

No painel Mercado das Energias Inteligentes, foram convidados, além dos Institutos Lactec, Paulo Javorsky, da Electra Energy, que comentou sobre a visão da indústria e do mercado sobre as redes inteligentes; Suani Coelho, da Universidade de São Paulo (USP), sobre as barrreiras regulatórias e comerciais sobre as redes; e Carlos Frees, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Para o mediador do painel, a entrada de novas fontes na matriz energética nacional detém importância única no setor elétrico e demandam, em especial, a discussão da inteligência do sistema como um todo. “Um dos grandes desafios do momento é a aproximação das empresas, da academia e dos institutos de pesquisa para desenvolvimento de projetos de P&D que contribuem com a inteligência do sistema”, comentou o presidente dos Institutos Lactec, Luiz Fernando Vianna, em conclusão sobre o debate realizado.

No Paraná, algumas iniciativas foram citadas quando se trata do mercado das energias renováveis. Segundo Vianna, um dos destaques entre as geradoras por fontes renováveis é a Copel, uma das pioneiras nacionais, com projetos inclusive no Rio Grande do Norte. Para ele, os Institutos Lactec também se destacam nesse cenário. “Atuamos nos principais projetos do país em Smart Grid e geração distribuída, e vejo que existe vontade das empresas em investir pesado nestes temas”, comenta ele.

Outra questão levantada durante o debate foi o perfil tecnológico que difere o Brasil dos países mais desenvolvidos. “Enquanto nos Estados Unidos o foco já passou a ser a internet das coisas, no Brasil, ainda discutimos conceitos de Smart Grid, Smart Energy e Smart City, que está um passo atrás”, concluiu Vianna.

Amanhã (20), palestra o pesquisador Prof. Dr. Alexandre Rasi Aoki, sobre projetos fundamentais para o desenvolvimento no painel Geração Distribuída e Smart Grid.

Saiba mais sobre o evento: http://smartenergy.org.br/