01/07/2016

Concurso elegeu melhor prática sustentável desenvolvida por designers e estagiários ao longo de 45 dias

Vencedor do concurso, Érik Gurski ganhou uma bicicleta

Vencedor do concurso, Érik Gurski ganhou uma bicicleta

Concluído nesta quinta-feira (30), o projeto Green Feel, desenvolvido pelos Institutos Lactec e pela Electrolux, ajudou estagiários e designers das duas instituições a pensar a sustentabilidade ambiental como prática cotidiana. A intenção é promover nos profissionais a consciência e a preocupação com o tema no processo de desenvolvimento de novos produtos e tecnologias.

O projeto teve início no dia 3 de maio, quando os participantes acompanharam palestras sobre sustentabilidade. A partir de então, teve início um concurso para escolher a melhor prática sustentável que seria desenvolvida pelos participantes durante um período de 45 dias. Ao mesmo tempo, outras atividades estiveram na programação do projeto, como visitas a uma tribo indígena e ao Escritório Verde da UTFPR.

“A primeira etapa do Design Thinking é a empatia”, explica o designer dos Insitutos Lactec Caio Marcio Almeida, organizador do evento. “Então propusemos aos participantes que entrassem em contato com o tema, primeiro vendo pessoas que desenvolvem práticas inspiradoras e depois colocando a mão na massa.”

Cada concorrente gravou um vídeo explicando sua ideia. As ações foram então avaliadas por uma comissão formada por especialistas na área: a engenheira química Alika Pires, da Divisão de Meio Ambiente dos Institutos Lactec, o professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Eloy Casagrande, doutor em engenharia de recursos minerais e meio ambiente, e a chef de cozinha Gabriela Carvalho, conhecida por praticar a cozinha saudável.

No evento de encerramento do Green Feel, o engenheiro Lourival Lippmann, da Divisão de Eletrônica dos Institutos Lactec, falou aos participantes sobre conectividade, abordando formas alternativas de geração de energia e de conectividade que podem ser utilizados por designers no desenvolvimento de produtos. “Até a vibração de uma máquina de lavar roupa pode ser aproveitada na geração de energia”, exemplificou Lippmann.

O vencedor do concurso, anunciado na quinta-feira, foi o designer Érik Gurski, que durante os 45 dias do projeto usou apenas a bicicleta para se deslocar de casa até o trabalho e ainda convenceu cinco amigos a adotar a mesma prática. Outros três participantes receberam menção honrosa, entre eles o estagiário dos Institutos Lactec Galguyn Grzyb Brancher, que criou um sistema de coleta de água da chuva para uso em atividades cotidianas, como lavar o carro.

Para o diretor de design da Electrolux, Júlio Bertola, o projeto ajudou os profissionais a perceber que, mesmo com atitudes simples, é sempre possível fazer algo em prol da sustentabilidade ambiental. “Sabemos que nossos produtos são consumidores de insumos, não só energia, mas também água e produtos químicos”, disse. “Quanto mais tivermos controle sobre o impacto gerado por nossos produtos, melhor será para o futuro do planeta.”

O projeto serviu ainda para validar vários procedimentos metodológicos, explica Caio Márcio Almeida. “Podemos utilizar essa parte do Design Thinking e tentar promover inovação em outros setores e com outros temas que não só a sustentabilidade em eletrodomésticos”, avalia o organizador do evento.