11/07/2017

Por indicação do MPF, instituição é responsável pelo diagnóstico socioambiental dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG)

DSC_0240a DSC_0245a

Representantes do Ministério Público Federal (MPF) designados para atuar no caso do rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG), o procurador da República Dr. José Adércio Leite Sampaio e os assessores Camila Cristina de Souza Rossi e Fabiano Gomes de Oliveira estiveram no último dia 5 nos Institutos Lactec para acompanhar os trabalhos em desenvolvimento e visitar a infraestrutura laboratorial da instituição.

Os Institutos Lactec, por indicação do MPF, são os responsáveis pelo diagnóstico socioambiental dos danos causados pelo rompimento. Contratada para avaliar e monitorar os programas de reparação socioambiental e socioeconômica, a Ramboll esteve representada na visita por seu diretor geral no Brasil, Eugênio Singer.

Acompanhado do diretor de Operações Tecnológicas, Lauro Elias Neto, da gerente do Departamento de Recursos Ambientais, Tania Lucia Graf de Miranda, e do biólogo Leonardo Pussieldi Bastos, o grupo percorreu todas as unidades dos Institutos Lactec.

No Salão das Araucárias, durante a apresentação das atividades já desenvolvidas, Dr. José Adércio Leite Sampaio, coordenador da força-tarefa Rio Doce, destacou a importância do trabalho do MPF e das instituições contratadas no acordo de reparação dos danos. “Era fundamental que tivéssemos as melhores mentes com os compromissos de independência técnica e de ética”, disse. “Esses, sem dúvida alguma, foram critérios que levaram à escolha do Lactec.”

Representantes do MPF e da Ramboll com a equipe dos Institutos Lactec envolvida no projeto